» Notícias
26/07/2017
Tamanho da Fonte
 

Concorrentes tentam ganhar espaço da JBS no Mato Grosso


A Marfrig anunciou que vai reabrir, em duas semanas, sua unidade frigorífica de Nova Xavantina, no Nordeste do estado. A empresa já tem duas unidades funcionando no estado, em Tangará da Serra e Paranatinga. Além disso, as unidades de Mineiros (GO), Tucumã (PA), Chupinguaia (RO) e de Paranatinga (MT) estão expandindo as linhas de produção. Com isso, a Marfrig quer elevar sua capacidade de produção de carne bovina em 25%. Outra unidade, em Pirenópolis (GO), será reativada.

Segundo a Marfrig, esse movimento se deve à “maior disponibilidade de bovinos para abate no Brasil, decorrente do ciclo positivo de gado e maior retenção no primeiro semestre do ano e do atual cenário macroeconômico”.

“A crise na JBS e a Operação Carne Fraca já provocaram queda de 6% no preço da carne. Temos superoferta de bois e baixamos o ICMS, de 7% para 4%, para abater em outros estados. Essas reaberturas são bem-vindas”, diz o secretário de Desenvolvimento Econômico do estado, Ricardo Tomczyk.

Em junho, a Minerva anunciou a reabertura de unidade de bovinos em Mato Grosso, em Mirassol D’Oeste, a partir de meados de julho. No mercado, comenta-se que ao menos dois frigoríficos que estavam arrendadas à JBS no estado também serão reabertos em breve.

Nos últimos anos, Mato Grosso assistiu ao fechamento de uma série de unidades de abate, especialmente pela JBS. Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) concluiu, em abril, que a empresa exercia o monopólio do mercado, graças à compra de vários frigoríficos, que eram fechados, “num caso clássico de concentração econômica”.

A CPI recomendou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) a abertura de um procedimento administrativo. Procurado, o Cade informou que ainda não recebeu o documento, mas que vai requisitá-lo. O presidente da CPI, deputado Ondanir Bortolini (PSD), disse que os indícios de suspeita de monopólio levaram ao pedido de investigação:

O relatório da CPI concluiu que a JBS detinha 56% do mercado frigorífico do estado, contra menos de 25% da segunda, a Marfrig. O documento revelou, ainda, que a empresa passou a arrendar frigoríficos em regiões em que já possuía unidades funcionando. Em seguida, fechou ou paralisou o abate em muitos deles. Hoje, das 25 unidades da JBS (compradas ou arrendadas), 14 estão fechadas.

O fechamento de unidades da JBS causou ao menos 14 mil demissões no estado.

Segundo o relatório, a JBS alegou inviabilidade financeira ou operacional de algumas plantas e falta de matéria-prima em algumas localidades para justificar o fechamento de unidades. Procurada, a JBS respondeu que foi informada sobre a conclusão da CPI dos Frigoríficos em Mato Grosso e “vai colaborar com seus desdobramentos à medida que houver solicitações de órgãos públicos originadas pelo relatório da Assembleia Legislativa do estado”.


Fonte: A Marfrig anunciou que vai reabrir, em duas semanas, sua unidade frigorífica de Nova Xavantina, no Nordeste do estado. A empresa já tem duas unidades